Sessão BizaRock

SESSÃO BIZAROCK

Terror, bizarrices e muito Rock N' Roll na nossa sessão BizaRock! Clique na imagem e confira!

Slide # 2

COMO TIRAR FOTOS DE FANTASMAS

Quer saber como capturar um fantasma em foto? Leia o nosso guia e aprenda!

Slide # 3

SAD SATAN, O JOGO DEMONÍACO DA DEEP WEB

Conheça o jogo Sad Satan, um game apavorante que surgiu na Deep Web e está deixando os internautas de cabelo em pé.

Slide # 4

SANATÓRIO DE WAVERLY HILLS

Conheça o assombrado sanatório de Waverly Hills, alvo de investigações e motivo de pavor para muitos americanos.

Slide # 5

SESSÃO BY CLAIRE THOUSAND'S

Leia contos, creepypastas e outros trabalhos de autoria da autora do blog.

domingo, 14 de outubro de 2012

Trabalho sujo no lado negro do Google


Em todos os produtos Google existem pessoas que enviam imagens de conteúdo questionável e que, quando denunciadas, são enviadas para um funcionário analisar e julgar se é mesmo conteúdo ruim ou não. De fato, o Google tem vários funcionários só para isso, especificamente contratados para lidar com que a empresa chama de “conteúdo sensível”. Um deles, em entrevista ao site BuzzFeed, relatou como é essa pavorosa experiência.

O funcionário, que não teve seu nome revelado por motivos óbvios, disse que em um determinado dia ele poderia ver cerca de 15 mil imagens de níveis variados de conteúdo questionável. Qual tipo de conteúdo? “Bestialidade, necrofilia, mutilação de partes do corpo, fetiches explícitos e pornografia infantil”, diz o empregado anônimo. Ele precisa fazer isso por que no caso de pornografia infantil, por exemplo, a lei manda que a empresa hospedando conteúdo tire as imagens do ar em até 24 horas.

Ele continua dizendo que “ninguém queria fazer [esse trabalho] dentro do Google”, por isso a empresa recorreu a contratos temporários. No caso desse empregado específico, ele ficou por nove meses fazendo a mesma coisa todos os dias, algo que ele diz que “me colocou em um lugar muito escuro”. Ele cuidava de produtos como o Picasa, Google Imagens e Orkut, mas haviam outros funcionários responsáveis por isso no YouTube.

O momento que ele percebeu que precisava de terapia foi quando o Google recomendou um teste com uma agente federal:

“Ela me mostrou fotos de atividades aparentemente inofensivas e me perguntou qual era minha primeira reação a ver uma determinada imagem. Eu disse “Isso é nojento!” é era apenas um pai com uma criança”.

Vale a pena ler a entrevista inteira, nem que seja para colocar em perspectiva que por mais que o seu emprego seja chato, ele não chega a ser tão traumatizante.

Fonte: Medo B

Tenha bons sonhos, se puder...

0 comentarios:

Postar um comentário